Principais peixes encontrados na bacia do Pantanal Sul-Mato-Grossense.

junho 5, 2017

 Principais espécies de peixes do Pantanal – MS

Os peixes da bacia do pantanal são inúmeros, existem aproximadamente cerca de 300 espécies, com grande variedade de formas e habitats. Todas apresentam características bastantes distintas umas das outras. Principalmente, quanto ao comportamento, que pode ser o mais variado. Alguns destes peixes têm hábitos noturnos e, durante o dia, praticamente não se movimentam. Já outras espécies têm o habito diurno e de noite não se movimentam. Já outros precisam de menos oxigênio do que a maioria.

Quanto à estrutura do corpo dos peixes, está é bastante diversificada sendo alguns cobertos por escamas, já outros possuem o seu corpo coberto por couro. Outra parte bastante importante dos peixes são as nadadeiras. Estas lhes fornecem propulsão e equilíbrio na água. A maior parte dos peixes, tanto de escamas quanto de couro, possuem nadadeiras pares (peitorais e pélvicas) e ímpares (dorsal, adiposa e caudal).

Logo abaixo serão descritos algumas características como habitat, alimentação, dicas de captura e os tipos de equipamentos utilizados para a pesca destes peixes da bacia do pantanal.

ARMAL

 

 

  • Descrição: Peixe de couro porte médio. Cabeça achatada, corpo comprido que possui uma fileira de espinhos, coloração variada de cinza, preto, amarelo,esverdeado. Chega a alcançar até 1m de comprimento total e 10kg.
  • Alimentação: A alimentação deste peixe é variada de pequenos peixes, miúdos de frango, miúdos de carne, minhoca, minhocuçu, frutas, etc.
  • Equipamentos: Varas de ação leve á média; linhas de 0,15 a 0,40mm; anzóis n° 2/0 a 6/0; chumbo de fundo pequeno a médio porte.
  • Dicas: Vivem em locais de águas funda e paradas em meio aos detritos dos rios e lagos. Espécie facilmente capturada com utilização de minhocuçu. Cuidado ao manusear o peixe, pois possui espinhos das nadadeiras dorsais e peitorais podem causar ferimentos dolorosos.

 

BARBADO

 

 

  • Descrição: Peixe de couro de pequeno/médio porte, corpo comprido, boca grande com barbilhões longos e achatados nadadeira muito longa, começando logo após a nadadeira dorsal. A coloração é cinza com manchas pretas finalizando em branco até o ventre.  Alcança cerca de 80cm de comprimento e 10 Kg.
  • Alimentação: Alimentação piscívora de pedaços de peixes, lambaris, miúdos de frango, tuviras, miúdos de carne, minhoca e minhocuçu.
  • Equipamentos: Varas de ação leve/média: linhas de 0,15 a 0,40mm; anzóis n° 2/0 a 6/0; chumbo de fundo pequeno a médio porte.
  • Dicas: A espécie é mais encontrada em águas mais calmas, sem muitas corredeiras do rio, facilmente capturada com utilização de lambaris pequenos ou minhocuçu.

 

 

 

 CACHARA

  • Descrição: Peixe de couro de porte médio/grande, corpo comprido e roliço, cabeça grande e achatada, boca grande com barbilhões longos e achatados, dentes igual uma lixa, coloração do cinza escuro clareando em direção ao ventre com faixas verticais pretas irregulares, começando na região dorsal e se estendendo até abaixo da linha lateral. Chega a alcançar mais de 1,20m de comprimento total e 50kg.
  • Alimentação: A alimentação deste peixe é piscívora comendo lambaris, jejum, piau, curimbatá, tuvira, muçum, cascudinho e também o minhocoçu.
  • Equipamentos: Varas de ação média/pesada; linhas de 8 a 110 lb; anzóis encastoados n° 6/0 a 10/0; Deve-se usar chumbo pesados, com peso de 20 a 150g, dependendo da profundidade e força da água.
  • Dicas: Vivem em vários tipos de habitat como poços, canal dos rios, baixios de praias e saídas de corixos. Também pode ser capturado com iscas artificiais, como plugs de meia água e de fundo. É importante espécie na pesca comercial, pois a carne é muito saborosa. Cuidado ao manusear o peixe, pois possui espinhos das nadadeiras dorsais e peitorais podem causar ferimentos dolorosos.

 

CACHORRA
  • Descrição: Peixe de escamas de médio porte, corpo alto e comprimido, coloração prateada, boca oblíqua com uma fileira de dentes e um par de presas na mandíbula. Nadadeiras peitorais grandes. O comprimento pode alcançar de 30cm a 1m e até 8,0 kg. Fatos raros de espécies de mais de 20kg.
  • Alimentação: A alimentação deste peixe é piscívora e canibal formada basicamente por pedaços de peixes, tuviras, lambaris, piraputangas, piaus, tuvira, jejum, mussum. As iscas artificiais como plugs de meia água, poppers e hélices também são muito utilizadas para a captura desta espécie.
  • Equipamentos: Varas de ação média; linhas de 0,20 a 0,40m; anzóis n° 4/0 a 6/0; chumbos pequenos ou sem chumbo. É recomendável o uso de empates de aço de pelo menos 10cm.
  • Dicas: São peixes de meia água, vivem em locais de corredeiras e saídas de corixos ou riachos. O melhor local para a pesca é nas saídas de corixos ou riachos quando estes soltam iscas pequenas. Costuma saltar fora d’água quando é fisgado. Espécie de grande importância esportiva. Cuidado ao manusear o peixe, pois possui dentes afiados podendo causar ferimentos dolorosos.
 CURIMBATÁ

  • Descrição: Peixe de escamas de porte pequeno a médio, possui uma boca protrátil em forma de ventosa com lábios carnosos, sobre os quais estão implantados vários dentes dispostos em fileiras. As escamas de coloração prateada. O comprimento pode alcançar de 30 a 80cm e até 4kg dependendo da espécie.
  • Alimentação: Alimentam-se de matéria orgânica e micro-organismos associados à lama do fundo e margens de rios. Também se alimentam caranguejos e  bolinhas de farinhas.
  • Equipamentos: Varas de bambu posicionadas no barranco e vara de ação média e carretilha para a pesca embarcada; linha de 0,16 a 0,25mm; anzóis pequenos e finos tipo 1/0 a 2/0.
  • Dicas: São peixes que vivem em poços profundos e nas margens. Para se ter sucesso na pesca do Curimbatá, é necessário ter paciência, pois são peixes de difícil captura porque pegam a isca muito de leve, exigindo bastante calma e sensibilidade para efetuar a fisgada no momento certo.
DOURADO

  • Descrição: Peixe de escamas porte médio, possui corpo comprido de coloração dourada com reflexos avermelhados com as nadadeiras alaranjada. Cada escama apresenta um filete negro no meio, formando riscas longitudinais da cabeça à cauda, do dorso até abaixo da linha lateral. Podem alcançar mais de 1m de comprimento total e 25kg.
  • Alimentação: A alimentação deste peixe é piscívora e canibal formada basicamente por pedaços de peixes, sapos, insetos, tuviras, lambaris, piraputangas, piaus, tuvira, jejum, mussum. As iscas artificiais como spinnerbaits, spinners, poppers também são muito utilizadas para a captura desta espécie.
  • Equipamentos:Varas de ação média a pesada; linhas de 0,20 a 0,80mm; anzóis encastoados n° 5/0 a 8/0 encastoados com no mínimo 30 cm de comprimento; chumbos pequenos ou sem chumbo.
  • Dicas: Vivem em locais de águas rápidas, corredeiras, galhadas, boca de vazantes, onde fica a espreita de presas. Quando fisgado o peixe costuma dar saltos espetaculares fora da água, nesse momento, o pescador não pode bambear a linha, porque a boca do dourado é muito durae difícil de ser perfurado muitas vezes o peixe consegue soltar a isca. É considerado o peixe mais esportivo do Pantanal. É importante espécie na pesca esportiva. Cuidado ao manusear o peixe, pois possui dentes afiados podendo causar ferimentos dolorosos.
JAÚ

 

  • Descrição: Peixe de couro de porte médio/grande, corpo comprido e roliço, cabeça grande e achatada, boca grande com barbilhões longos e achatados, dentes igual uma lixa, coloração do corpo varia em marrom e esverdeado. Chega a alcançar mais de 1,50m de comprimento total e 100kg.
  • Alimentação: A alimentação deste peixe é piscívora formado por iscas naturais, lambaris, jejum, piau, curimbatá, tuvira, muçum e  minhocoçu.
  • Equipamentos: Varas de ação pesada; linhas de 0,40 a 120mm; anzóis n° 10/0 a 14/0 encastoados com no mínimo 20cm de comprimento; Deve-se usar chumbo pesados, com peso de 100 a 1.000g dependendo da profundidade e força da água.
  • Dicas: Vivem em locais de águas funda e paradas ou logo abaixo das corredeiras, principalmente à noite. É muito importante que a isca fique no fundo. Espécie de carne branca muito saborosa. A principal alimentação desta espécie no Pantanal é o minhocoçu.

 

 

 

 JEJUM

 

 

  • Descrição: Peixe de escamas de pequeno/médio porte, corpo apresenta uma lista preta da cabeça ao rabo. Cabeça pequena e olhos grande. O comprimento pode alcançar de 5cm a 60cm e até 2kg
  • Alimentação: Se alimentam de qualquer tipo de animal, peixes, invertebrados, anfíbios, pequenos répteis, roedores, minhocas, miúdos de frango, miúdos de carne, detritos, pão, massas etc.
  • Equipamentos: Varas de ação leve ou de bambu; linhas de 0,10 a 0,16mm; anzóis encastoado n° 1/0 a 2/0.
  • Dicas: Vivem em águas rasas, onde é mais fácil encontrar alimento e fugir de predadores. São excelentes iscas para a pesca de Cachara, Dourado, Jurupensém, Jaú, Jurupoca, Palmito, Pintado e Piranha. Cuidado ao manusear o peixe, pois possui pequenos dentes afiados podendo causar ferimentos dolorosos.

 

 

JURUPENSÉM
  • Descrição: Peixe de couro de porte pequeno a médio, corpo comprido e fino,boca grande com barbilhões longos, maxilar superior maior que a mandíbula, coloração marrom claro, passando para o preto e finalizando em branco até o ventre. Tamanho pode variar de 40 a 80cm e 3kg.
  • Alimentação: Alimentação piscívora formada por pedaços de peixes, lambaris, sardinhas, minhoca e minhocuçu.
  • Equipamentos: Varas de ação média/pesada, linhas de 0,16 a 0,25mm; anzóis de n° 2/0 a 5/0; chumbo para manter a isca no fundo.
  • Dicas: Vivem na beira dos rios e nas bocas das lagoas e corixos. Espécie facilmente capturada com utilização de lambaris pequenos ou minhocuçu. Espécie de carne branca muito saborosa. Cuidado ao manusear o peixe, pois possui espinhos das nadadeiras dorsais e peitorais que podem causar ferimentos dolorosos.
JURUPOCA

 

  • Descrição: Peixe de couro porte pequeno a médio, corpo comprido e fino, cabeça grande de boca com barbilhões longos e achatados, coloração variando de castanho esverdeado para o amarelado, e o ventre é branco. Apresenta manchas pretas ovaladas de tamanho variável. Tamanho médio de 60 cm mais pode alcançar mais de 1m de comprimento total e 8kg.
  • Alimentação: Alimentação piscívora formada por pedaços de peixes, lambaris, sardinhas, minhoca e minhocuçu.
  • Equipamentos:Varas de ação média; linhas de 0,16 a 0,40mm; anzóis de n° 3/0 a 8/0; chumbo para manter a isca no fundo.
  • Dicas: Vivem na beira dos rios e na boca das lagoas e corixos. Espécie facilmente capturada com utilização de lambaris pequenos ou minhocuçu. Espécie de carne amarelada com excelente sabor. Cuidado ao manusear o peixe, pois possui espinhos das nadadeiras dorsais e peitorais que podem causar ferimentos dolorosos.

 

LAMBARI
  • Descrição: Peixe de escamas de pequeno porte, de no máximo 20 cm de comprimento, corpo alongado. A coloração é normalmente prateada, mais algumas espécies são mais coloridas.
  • Alimentação: Alimentam-se de vários itens alimentares vegetais e animais como flores, frutos, sementes, insetos, crustáceos, minhocas, miúdos de carne algas, detritos, pão, massas etc.
  • Equipamentos: Materiais de ação leve, varas de bambu, molinete pequenos; linhas 0,10mm; anzóis n° 1/0 a 2/0 tipo mosquitinhos são os ideais; sem chumbo ou pequeno.
  • Dicas: Durante a pesca, é preciso ficar muito atento, porque são peixes muito ligeiros e roubam a isca facilmente. São excelentes iscas para a pesca de Barbado, Cachara, Jaú, Dourado, Jurupensen, Jurupoca, Palmito, Pintado e Piranha.
MANDI

  • Descrição: Peixe de pequeno porte, corpo de couro alongado e um pouco comprimido, possui barbilhões longos. Uma característica comum do gênero é a presença de um acúleo forte e agudo nas nadadeiras dorsal e peitorais. A coloração é parda na região dorsal, passando para amarelada nos flancos e branca no ventre. Alcança até 60cm de comprimento Alcança cerca de 60cm de comprimento total e peso de no mázimo 1kg. A espécie é mais encontrada em águas mais calmas, sem muitas corredeiras do rio.
  • Alimentação: Alimentação carnívora (pedaços de peixes, lambaris, miúdos de frango,  miúdos de carne, bolinhas de massa de farinha de trigo ou soja, minhoca, minhocuçu).
  • Equipamentos: Do tipo de ação leve, montado com chumbo para manter a isca no fundo; linhas de 0,15 a 0,40mm; anzóis n° 1/0 a 4/0; chumbo de fundo pequeno a médio porte.
  • Dicas: Espécie facilmente capturada com utilização de minhoca ou minhocuçu.
PACU
  • Descrição: Peixe de escamas de porte pequeno/médio, possui corpo oval e comprido, com boca grande, portador de dentes molariformes. A coloração varia entre castanho, cinza ou preto. Chega a alcançar cerca de 80cm de comprimento total e até 10 kg.
  • Alimentação: A alimentação deste peixe é a mais variada dos peixes do pantanal, variando desde frutas como tucum, laranjinha, jenipapo, goiaba, até iscas naturais como lambaris, caranguejo, minhocuçu, filé de curimbatá azedo, bolinhas de massa de farinha de mandioca, bolinhas de massa de farinha de soja, tripa de galinha podre, coração bovino etc..
  • Equipamentos: A pesca desta espécie pode ser praticada de 02 formas: com vara de bambu pelo método de batida, onde se reproduz o som de uma fruta caindo próximo às margens ou às plantas aquáticas – vara de bambu 3 a 5m de comprimento com linha 0,30 a 0,60mm; anzóis n° 3/0 a 4/0; sem chumbada. Usando carretilha/molinete, a vara deve ser de ação média/pesada, para linhas de 0,30 a 60mm; anzóis encastoados n° 3/0 a 6/0; chumbada média.
  • Dicas: Vivem em locais de remansos, geralmente próximo as plantas aquáticas. Recomenda-se amarrar o barco nas galhadas e o pescador precisa ser bastante paciente e licencioso. As iscas artificiais como spinnerbaits, spinners, poppers também são muito utilizadas na região do Pantanal. É considerado um dos peixes mais esportivos do Pantanal e também é importante espécie na pesca comercial, pois a carne é muito saborosa.
PACU-PRATA

 

  • Descrição: Peixe de escamas de porte pequeno, corpo arredondado cabeça e a boca pequenas. Coloração prateada, podendo apresentar manchas variadas no corpo e nadadeiras coloridas. O tamanho varia de 15-30cm dependendo da espécie.
  • Alimentação: Alimentação herbívora, pequenas frutas, milho, bolinhas de massa de farinha e minhoca.
  • Equipamentos: Varas de bambu; linhas de 0,10 a 0,20mm; anzóis n° 1/0 a 3/0; chumbada pequena;
  • Dicas: Peixe de meia água e remansos. Vivem em grandes cardumes. Espécie facilmente capturada com utilização de bolinhas de massa de farinha ou minhoca.

 

 

PALMITO
  • Descrição: Peixe de couro porte pequeno/médio, cabeça achatada, corpo comprido, boca grande portadora de dentes igual uma lixa. Coloração bastante variada em azul, cinza ou esverdeado no dorso, sendo que o flanco é amarelado, clareando em direção ao ventre, sendo a barriga e as nadadeiras alaranjadas. Tamanho máximo de até 80 cm e 3kg.
  • Alimentação: Alimentação piscívora formada por pedaços de peixes, lambaris, sardinhas, minhoca, minhocuçu.
  • Equipamentos: Varas de ação leve, linhas de 0,16 a 0,25mm; anzóis de n° 2/0 a 5/0; chumbo pequeno.
  • Dicas: Vivem na beira dos rios e na boca das lagoas e corixos. É o único peixe de couro de pesca esportiva, quando fisgado o peixe costuma dar saltos espetaculares fora da água. Espécie de carne branca muito saborosa.
PIAU
  • Descrição: Peixe de escamas, com corpo alongado, boca terminal. Coloração prateada, com o dorso castanho escuro e o abdome amarelado. Apresenta três manchas pretas nas laterais do corpo, e nadadeiras amareladas. O piau alcança em média 40cm de comprimento total e 1,5kg, sendo que os indivíduos maiores chegam a 80cm e 6kg.
  • Alimentação: Alimentam-se de vegetais e insetos, larvas, invertebrados, frutos, algas filamentosas, raízes de gramíneas ou de frutos/sementes pequenos, minhoca e minhocuçus, milho verde ou azedo, bolinhas de massa, caramujo etc.
  • Equipamentos: Vara de bambu, nas pescarias de barranco, e vara de ação média e carretilha para a pesca embarcada. As linhas mais utilizadas são de 12 a 14 lb, preparadas com chumbadinha leve e solta na linha e anzol pequeno tipo 1/0 a 2/0.
  • Dicas: Vive nos rios, em poços profundos e nas margens, na boca de lagoas e corixos. Para se ter sucesso na pesca do piau, é necessário ter paciência, pois o peixe costuma pegar a isca com suavidade e acomodá-la na boca antes de correr. Se o pescador ficar afobado não vai conseguir fisga-lo. É importante realizar uma ceva com milho ou massa de farinha para reunir os peixes no local onde se pretende pescar.
PIAVUÇU
  • Descrição: Peixe de escamas com corpo curto e grosso, boca grande e terminal. A coloração é cinza escuro com manchas escuras, alongadas verticalmente. Pode alcançar 70cm de comprimento total e até 4,0 kg..
  • Alimentação: Alimentam-se de sementes, caramujo, carangueijo, milho e bolinhas de massa de farinha.
  • Equipamentos: Varas de bambu posicionadas no barranco e varas de ação média com carretilha/molinete, linhas de 3 a 8 lb, anzóis até o n° 3/0, chumbada leve.
  • Dicas: Vive na na beira e no canal dos rios, nas baías e a jusante de quedas d’água, principalmente nas proximidades da vegetação. Para se ter sucesso na pesca do piavuçu, é necessário ter paciência, pois são peixes de mordem as iscas por partes exigindo bastante calma e sensibilidade para efetuar a fisgada no momento certo.
PINTADO
  • Descrição: Peixe de couro que possui barbilhões longos e achatados, corpo alongado e roliço, cabeça grande e achatada, portador de dentes igual uma lixa, coloração do cinza escuro clareando em direção ao ventre com pintas pretas arredondadas. Chega a alcançar mais de 1,50m de comprimento total e 80 kg.
  • Alimentação: A alimentação deste peixe é piscívora ( lambaris, jejum, piau, curimbatá, tuvira, muçum, cascudinho e também o minhocoçu).
  • Equipamentos: As varas utilizadas devem ser de ação média/pesada, linhas de 8 a 150lb, anzóis encastoados n° 6/0 a 10/0. Deve-se usar chumbo pesados, com peso de 20 a 200g, dependendo da profundidade e força da água.
  • Dicas: Vivem em locais de águas funda e paradas ou baixios de praias e saídas de corixos. Também pode ser capturado com iscas artificiais, como plugs de meia água e de fundo. É uma importante espécie na pesca comercial, pois a carne é muito saborosa.
PIRANHA
  • Descrição: Peixe de escamas, corpo pequeno e arredondando, mandíbula saliente e dentes afiados. Possui coloração cinza no dorso e esbranquiçado no ventre. Pode alcançar 60cm de comprimento total e até 2,0 kg..
  • Alimentação: A alimentação deste peixe é carnívora e canibal formada basicamente por pedaços de peixes, vísceras, lambaris,  tuvira, jejum, mussum e iscas artificiais de meia água.
  • Equipamentos: Varas do tipo leve á média, linhas de 14 a 20 lb, chumbo pequeno, anzol 3/0 à 6/0 encastoado com no mínimo 10 cm de aço.
  • Dicas: São peixes de meia água, vivem em grandes cardumes podendo ser perigosa em determinadas situações. Espécie facilmente capturada com utilização de pedaços de peixes, vísceras etc.
PIRAPUTANGA
  • Descrição: Peixe de escamas com corpo alongado e um pouco comprimido, boca com dentes pontudos e serrilhados. Possui coloração prateada/amarelada com nadadeira caudal vermelha e demais nadadeiras alaranjadas. Alcançam cerca de 60cm de comprimento total e até 3,0kg.
  • Alimentação: Alimentam-se de frutos, sementes, lambaris, milho bolinhas de massa de farinha e minhocuçu.
  • Equipamentos: As varas utilizadas devem ser de ação leve ou leve/média de 6 a 12 lb. Os anzóis são pequenos até n° 2/0 e o chumbo deve ser leve, pois são espécies de meia água.
  • Dicas: Vivem em locais de corredeiras e nos remansos, embaixo de árvores frutíferas e próximos às plantas aquáticas. O melhor local para a pesca é próximo de corredeiras, com utilização de lambari ou iscas artificial pequena, jumping etc. Espécie de grande importância na pesca esportiva.
TRAÍRA
  • Descrição: Peixe de escamas com corpo cilíndrico, com boca grande portador de dentes caninos, bastante afiados, olhos grandes e nadadeiras arredondadas. A cor é marrom ou preta manchada de cinza. Chega a alcançar cerca de 60cm de comprimento total e 3,0 kg.
  • Alimentação: A alimentação deste peixe é carnívora (pequenos peixes, sapos, insetos, miúdos de frango, miúdos de carne).
  • Equipamentos: As varas utilizadas devem ser de ação leve, linhas de 10 a 20 lb, anzóis com empate de n° 1/0 a 6/0. As iscas artificiais como spinnerbaits, spinners, poppers e sapos de borracha também são muito utilizadas.
  • Dicas: Vivem em locais de águas paradas, lagos, lagoas, brejos, vazantes, matas inundadas, geralmente entre as plantas aquáticas, onde fica a espreita de presas como peixes, sapos e insetos. Ao pescar com iscas naturais, use chumbo acima da isca e bata na água. O barulho atrai as traíras e torna a pesca mais produtiva. Cuidado ao manusear o peixe, pois possui dentes afiados podendo causar ferimentos dolorosos.

Deixe uma resposta